Copyright 2006-2019

 

R.E.R. - Gestão, Marketing e Sustentabilidade - Todos os direitos reservados. ATENÇÃO: Este site tem, também, o propósito de reunir pensadores, pensamentos, conheci-mentos e experiências. Caso discorde de alguma publicação neste compên-dio, gentileza enviar e-mail que iremos retirar imediatamente seu link, citação ou conteúdo.

Obama assina decreto para reduzir 40% das emissões dos EUA até 2025

Fonte: G1

 

Fonte: G1

 

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assinou na última quinta-feira (19) um decreto que fixa como meta reduzir em 40% as emissões de gases causadores do efeito estufa pelas agências federais dos Estados Unidos até 2025.

O decreto, que também prevê o investimento em energia limpa, foi assinado após acordo de coperação com a China, acertado no ano passado. Juntos, os dois maiores poluidores mundiais se comprometeram a reduzir suas emissões de gases do efeito estufa na atmosfera. O acordo, que foi negociado durante meses pelos dois países, pretende promover um pacto em nível global, visando a Conferência sobre Mudança Climática que acontecerá em Paris neste ano.

 

"São objetivos ambiciosos, mas sabemos que é possível alcançá-los", declarou o presidente norte-americano, que visitou o teto do edifício que abriga o Departamento de Energia, em Washington, onde foram instalados painéis solares, de acordo com a agência France Presse.

 

"É importante dar o exemplo a nível de governo federal", ressaltou Obama, afirmando sua vontade de "fazer tudo para melhorar a eficácia energética da economia norte-americana".

 

Redução


Em 10 anos, a eletricidade procedente de fontes renováveis utilizada pelo governo - que dispõe de uma frota de 650 mil veículos assim como 360 mil edifícios em todo o país - deverá alcançar 30%.

 

Segundo os cálculos do executivo norte-americano, estas medidas, juntamente com novos compromissos de grupos privados que trabalham com o Estado, permitirão reduzir as emissões a um equivalente às emissões de 5,5 milhões de carros em um ano.

 

Após destacar o rápido desenvolvimento da energia solar nos Estados Unidos, Obama enfatizou que o ritmo de crescimento de empregos no setor é "dez vezes superior" ao da economia geral.

 

Inovação


O decreto deve "impulsionar a inovação", disse Brian Deese, conselheiro do presidente. "É uma boa notícia para o meio ambiente, para a economia e para o contribuinte norte-americano", afirmou.

 

Diante da feroz oposição dos republicanos no Congresso, incluídos vários que colocam em xeque a existência do aquecimento global, Obama alavanca o debate sobre a regulação nesta matéria, particularmente ao estabelecer novas normas para as usinas de carbono através da Agência de Proteção Ambiental.

 

Washington se comprometeu a reduzir entre 26% e 28% das emissões norte-americanas de gás de efeito estufa de hoje a 2025 em comparação com 2005.

Please reload

Recent Posts
falecomigo.png